Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Primeira Casa da Rua

SE O TEMA É DESIGN, DECORAÇÃO OU FAÇA VOCÊ MESMO, ENTÃO ESTÁ AQUI!

Design: A casa pós COVID-19

Nesta altura o tempo dá-nos tempo para pensar em temas que vão estar em cima da mesa nos próximos tempos. Por exemplo, como vai ser a casa depois do COVID 19?

Durante o período de confinamento já começámos a viver a casa de uma maneira diferente. Estamos a dar mais uso a divisões que não eram utilizadas e a atribuir novas funcionalidades àquelas divisões que normalmente só tinham uma função. A sala de jantar, hoje, já não é só a sala de jantar, mas também pode ser a escola, durante o período de aulas, e à noite, a zona de trabalho do pai, da mãe ou de ambos. A sala de estar pode ser o ginásio dos adultos no período da manhã e à tarde o ginásio dos mais pequeninos. Vamos ter espaços mais abertos e informais onde vamos procurar ter uma decoração mais informal, descontraída e com facilidade de ser alterada em poucos minutos. Peças de mobiliário mais leves, de fácil arrumação e algumas, até com rodas, para que tudo possa ser movimentado com o maior conforto e rapidez.

Devido ao confinamento muitas pessoas necessitaram de espaços para estarem sozinhas, num momento de puro prazer individual, já que tantas horas e dias confinados com toda a família permitem picos de tensão e stress. A criação desses espaços, vão-se manter mesmo depois do COVID-19 e mesmo em divisões onde o espaço não é abundante. Algumas plantas em vários níveis de altura podem ser a solução para que possa ter aquele cantinho para descansar e para separar este espaço da outra zona da divisão.

Primeira Casa da Rua 1.jpg

A casa vai ficar mais inteligente para um maior numero de pessoas, com a utilização massiva da domótica. Há muito que explorar para que a casa esteja protegida da contaminação, cada vez mais instruções para que tudo ou quase tudo possa funcionar com ordem de voz, talvez até possamos vir a ter um controlador de temperatura à porta ou um kit de higienização automática na entrada de casa.

Um hábito cultural, há muito praticado na Ásia, chegou ao mundo ocidental e veio para ficar. Os sapatos deixados à entrada de casa, seja na própria ou na casa de amigos ou família vai ser uma pratica reiterada, em todos os estilos de casas. Nós, designers vamos ter que pensar em formas visualmente apelativas para termos todos os sapatos à entrada, sem parecer que estamos perante uma exposição de sapatos.

Primeira Casa da Rua4.jpg

Outro hábito que vai fazer cada vez mais parte da vivência da casa é a criação de hortas. As hortas vão fazer parte dos jardins, quintais, terraços, varandas ou até mesmo do interior das casas, para onde já existem soluções perfeitas. Para quem não tem espaço, as hortas verticais vão ser a solução. Cada vez mais devemos ser auto-suficientes em tudo o que for possível. Plantas em casa também vão fazer cada vez mais parte da decoração de todas as divisões, criando uma sensação de contacto com a natureza mais próximo, humanizando cada vez mais os espaços.

Primeira Casa da Rua 5.jpg

Estes são alguns dos elementos ou hábitos que já mudaram em 2 meses e que vieram para ficar. Há outros hábitos e vivencias que se vão alterar. Só com o tempo vamos perceber aquilo que cada um de nós necessita e que pretende colocar dentro de casa. O caminho faz-se caminhando e é isso que devemos fazer, viver a vida, viver a casa que sempre foi, é e será sempre tão importante.

www.nunomatoscabral.com

 

Edifício amigo do ambiente!

tao-zhu-yin-yuan-garden-tower-taipei6.jpg

 

Nos últimos anos, a arquitetura assumiu o o papel de contribuir para um planeta mais saudavel,  com projetos que solucionem problemas de poluição nas principais capitais do mundo. O arquiteto Vincent Callebaut, nascido na Bélgica e radicado em Paris, tem cada vez mais essa preocupação ecológica, que acaba por ser o mote das suas ideias.

 

O seu projeto que está em construção, o Tao Zhu Yin Yuan, um prédio residencial em Taiwan que incorpora o verde não só como estética, mas também como agente de transformação da qualidade do ar, num dos bairros mais populosos de Taipei City. Para isso, vão plantar 23 mil árvores, nos 42 apartamentos, distribuídos em 20 andares, que formam um verdadeiro jardim vertical, incorporando a natureza dentro e fora das residências. No topo do edificio, criou uma área de mais de mil metros quadrados destinada a painéis de energia solar.

 

tao-zhu-yin-yuan-garden-tower-taipei3.jpg

 

O projeto, já em fase de construção, teve seu último andar finalizado o ano passado, agora só falta esperar pela sua conclusão. Uma boa prática que deveria ser replicado por todo o mundo!

 

tao-zhu-yin-yuan-garden-tower-taipei1.jpg

tao-zhu-yin-yuan-garden-tower-taipei2.jpg

tao-zhu-yin-yuan-garden-tower-taipei4.jpg

tao-zhu-yin-yuan-garden-tower-taipei5.jpg

 

As férias estão a terminar!

Normalmente, quando as férias estão a terminar é sinal de alguma nostalgia ou tristeza, pois para mim não é nada assim, estou ansioso por voltar ao trabalho, uma vez que estou com muitos projetos em mãos que me deixam aquela ansiedade boa, como se fosse o primeiro dia de qualquer coisa que não conhecemos mas que sabemos que nos vai deixar muito felizes, pois é, eu estou assim, ansioso para começar a pôr a mão na massa. Em Setembro/Outubro já vão haver mais novidades que tenho todo o gosto em partilhar com vocês, entretanto, vou aproveitar mais uns quantos minutos de sol!

 

Aproveitem estes últimos dias de férias para descansar, mas também para avançarem com aquele projeto que já há muito está na gaveta, não se esqueçam, o medo por vezes é o nosso pior inimigo. Há que atirar o medo para trás das costas, e força... em frente!

 

Nuno Matos Cabral (2).JPG

 

Hora de decidir o futuro profissional!

Hora de decidir o futuro profissional!

 

A educação é um tema que me diz muito, por isso mesmo, procuro estar sempre atento a todas as novidades que possam contribuir para que os nossos jovens possam fazer as escolhas certas quando chega a hora de decidir qual o percurso académico que pretendem fazer. Essa escolha é bastante importante, uma vez que estamos a falar do inicio de um percurso académico que se vai refletir no percurso profissional. Em Portugal são mais de 390.300 matriculados no ensino superior, no entanto, estima-se que metade dos estudantes que frequentam o ensino superior desiste do curso durante o 1º ano, uma das causas advém da falta de informação dos mesmos em relação aos cursos disponíveis no mercado e às respetivas saídas profissionais. A Fundação Vodafone, sempre atenta a estas questões, criou uma plataforma online, o Design The Future, (designthefuture.pt), que pode ser aquele fator determinante que falta para tomar a decisão final de uma forma consciente.

 

As opiniões dos pais, dos irmãos ou dos amigos são muito importantes, mas a opinião dos profissionais de inúmeras áreas, desde as engenharias passando pela medicina ou áreas criativas, como a música ou a literatura, são ainda mais importantes para perceber os percursos e as experiências profissionais de cada uma destas pessoas. Vamos encontrar nesta fase de lançamento mais de 100 testemunhos, permitindo uma escolha orientada ao perfil, competências e vocação, sempre tendo em conta as necessidades do mercado. O Design the Future é uma aplicação inclusiva, por isso, como todos os programas promovidos pela Fundação Vodafone, permite a utilizadores cegos ou com baixa visão, aceder a todos os conteúdos disponibilizados através da mesma.

 

Uma aplicação que não é só para os jovens mas também para os progenitores, que pode ser consultada não só no PC, mas também no smartphone e tablet.  Uma decisão tão importante deve ser tomada de forma consciente, por isso mesmo o Design the Future, é uma plataforma para a família. Veja aqui estas e outras informações sobre esta nova plataforma.

 

Não me vou cansar de dizer a todos os meus amigos, familiares e jovens em idade de escolher o seu percurso académico para não perderem esta oportunidade única, se fosse a minha hora de decidir não pensava duas vezes.

1.png

3.png